Traduções, Artigos, Entrevistas

Posts com tag “U.B.C.S.

Umbrella

 A Destruição de Raccoon City

Bem vindo a Raccoon City

O desastre atingiu a Umbrella em Julho de 1998. O T-Vírus vazou do Centro de Treinamento em Gestão da Umbrella nas Montanhas Arklay e se espalhou ferozmente pela floresta que cerca Raccoon City. O homem responsável pela contaminação era James Marcus. Embora tivesse sido assassinado em 1988, ele foi trazido de volta dos mortos por uma sanguessuga construtora que ele havia criado com o T-Vírus, e foi se vingar da Umbrella pelo roubo de sua pesquisa.

Mais tarde, em Setembro de 1998, insetos e pequenos mamíferos carregaram uma nova contaminação do T-Vírus para dentro da própria Raccoon City. Seus cidadãos foram quase todos transformados em zumbis, e os poucos que permaneceram não infectados foram pegos em uma situação desesperadora com pouca esperança de escapar. As forças da lei da cidade foram destruídas, e quando a Umbrella enviou a sua própria U.B.C.S. (Serviço de Contramedida a Perigos Biológicos da Umbrella)¹ para procurar por sobreviventes, eles também foram eliminados. No fim, o governo americano foi forçado a declarar lei marcial na cidade.

Míssil atingindo Raccoon City (Resident Evil 3: Nemesis)

Em Outubro de 1998, não havia como negar mais a gravidade da situação, e o congresso aprovou a “esterilização” de Raccoon City. Os militares lançaram um míssil estratégico no centro da cidade, destruindo os infectados e o vírus em um só golpe. Este plano resultou no sucesso da contenção do surto, mas muitos consideraram o sacrifício de 100.000 vidas um preço muito alto a se pagar.

Seguindo a esterilização, o governo imediatamente ordenou o decreto de suspensão de negócios da Umbrella, a qual eles consideravam responsável pelo incidente. Em protesto, o presidente da Umbrella Spencer reuniu uma equipe de defensores legais de ponta e lançaram uma ação judicial contra o governo. Os posteriores “julgamentos de Raccoon” colocaram em questão o testemunho dos sobreviventes, alegando que o governo havia os coagido para caluniar a Umbrella, e que o plano de esterilização foi uma conspiração do governo para destruir evidências de seu próprio envolvimento. Assim como Spencer havia planejado, a teoria da conspiração  funcionou.

Porém, ao passarem-se os anos, a Umbrella começou a perder terreno na batalha legal. O golpe final veio em 2003 após um surto de risco biológico na região do Cáucaso na Rússia. Uma fonte anônima enviou ao governo arquivos secretos dos computadores da Umbrella provando que ela estava por trás do incidente em Raccoon City. Contrariando todas as maquinações do Spencer, a ação judicial da Umbrella foi julgada improcedente.

As ações da Umbrella despencaram após essa decisão, e os consumidores perderam completamente a fé na marca. No fim, a companhia foi forçada a declarar falência.


1 – Umbrella Biohazard Countermeasure Service, no original.


Artigo de Jornal sobre a Queda da Umbrella

Filial Doméstica da Umbrella se Dissolve

TÓQUIO, JAPÃO: Hoje, a filial japonesa da corporação multinacional Umbrella Pharmaceutical Incorporated anunciou sua dissolução e começou a liquidar espólios. Sua matriz declarou falência no início da semana.

Umbrella chega ao fim

A Umbrella estabeleceu sua filial japonesa em 1984 com o propósito inicial de importar produtos farmacêuticos desenvolvidos na América. Em 1987, completou-se o Centro de Pesquisas da Umbrella no Japão, que usou biotecnologia para obter pesquisas independentes e desenvolvimento de produtos farmacêuticos.

As ações da Umbrella têm estado em declínio desde as acusações a respeito da “Tragédia de Raccoon City” em 1998, e o dano à imagem pública causou a estagnação de suas vendas. Com a Umbrella  recentemente se encontrando sujeita a numerosos processos contra ela a respeito da mesma tragédia, a empresa foi forçada a declarar falência.

A filial japonesa da companhia procurou por novas fontes de financiamento nas últimas semanas, mas não recebeu ofertas de companhias farmacêuticas ou outras companhias no país ou no exterior. A decisão de fechar foi tomada sob a luz deste fato.

(Extraído da edição matinal de um certo jornal, 15/3/2004)

Colapso da Subsidiária da Umbrella no Japão

Memorando a respeito da liquidação corporativa (14/3/2004)

Este é um memorando para informar a vocês da decisão feita na 10ª reunião de Março do conselho de diretores. Nós decidimos dissolver nossa companhia em razão da declaração de falência pela nossa matriz, Umbrella.

Nós reconhecemos o trabalho duro por parte de todos os nossos empregados para manter nosso empreendimento rentável, mas com a estagnação de nossas vendas em decorrência do incidente de 1998 em Raccoon City, E.U.A., e nossa companhia mãe tendo sido sujeitada a inúmeros processos judiciais, nós julgamos impossível continuar na produção.

Nós estivemos procurando prontamente por uma nova companhia matriz para a qual pudéssemos transferir nossos projetos, mas nossos esforços se provaram infrutíferos. Não temos outra escolha se não fechar as portas.

A liquidação dos espólios da companhia será manuseada por Akitaka Igurashi (ex-diretor de administração da Umbrella Japão).

Permita-me tomar um último momento para agradecer todos vocês pelo seu trabalho duro e apoio a nossa companhia até o fim.

Umbrella Japão, Inc.

Akitaka Igurashi, Diretor de Administração


Unidade Regional Privada de Contenção de Perigos Biológicos

Operação T-A.L.O.S.

Quatro anos depois da destruição de Raccoon City, os ex-membros do S.T.A.R.S. Chris Redfield e Jill Valentine se uniram à Unidade Regional Privada de Contenção de Perigo Biológico (B.C.U.¹), uma organização civil que jurou se opor ao bioterror em todas as partes do globo. Diferente da unidade de contenção de perigos biológicos da Umbrella, a U.B.C.S. – cuja verdadeira missão era obter dados em zonas de infecção biológica – o objetivo da B.C.U. era a completa erradicação de todo bioterror. Ela era formada por uma pequena equipe de civis de elite carregando armamento de nível militar.

Em Fevereiro de 2003, a B.C.U. recebeu uma informação que a divisão russa da Umbrella estava desenvolvendo um novo tipo de B.O.W., e Chris e Jill se uniram à operação para pará-los. A pequena unidade desceu na instalação em dois helicópteros de ataque Mil Mi-24, planejando se infiltrar no centro de pesquisas e destruir a nova B.O.W. Essa operação foi chamada mais tarde de Operação T-A.L.O.S.

No dia da operação, Chris e Jill chegaram ao local, apenas para descobrir que um acidente biológico tinha acontecido no nível quatro do laboratório de pesquisa, matando 90% dos pesquisadores no local. Era o pior cenário possível: a chance de sobrevivência na atmosfera infectada era de menos de 2%.

As instalações tinham sido construídas para desenvolver a B.O.W. humanóide “Talos”, um novo tipo de Tyrant controlado remotamente por computador. Esse era um conceito muito diferente daquele do Nemesis Tipo-T, o qual utilizava o parasita Nemesis para conferir inteligência ao corpo de um Tyrant de produção em massa. O diretor do projeto era um executivo da Umbrella muito próximo de Spencer, o Coronel Sergei Vladimir. Chris e Jill sabiam que se eles o derrotassem, eles estariam impedindo a ressurreição da Umbrella diretamente pela raiz.

Ironicamente, Wesker apareceu ao mesmo tempo com o mesmo objetivo. Ele conseguiu matar Sergei, e escapou com os dados da Umbrella armazenados no computador U.M.F.-013.

Felizmente, os fins também eram os mesmos. Naquele mesmo ano, Wesker enviou os dados que ele adquiriu para o governo, o que levou à derrota direta da Umbrella nos Tribunais de Raccoon. Cinco anos depois do Incidente da Mansão, a Umbrella estava oficialmente morta.

Chris e Jill tinham cumprido seu primeiro objetivo – a queda da Umbrella – mas a batalha real ainda estava por vir. Spencer, o homem por trás de tudo, tinha desaparecido, e precisava ser trazido à justiça – assim como o inimigo mortal deles, Wesker.

¹ – Private Regional Biohazard Containment Unit


U.B.C.S. (Serviço de Contramedida a Perigo Biológico da Umbrella) – Palavra-chave 11

(Umbrella Biohazard Countermeasure Service )

O Serviço de Contramedidas a Perigo Biológico da Umbrella, ou U.B.C.S., é composto inteiramente por bandidos que serviam ao exército de seus países. Eles existem primariamente para controlar os desastres causados pelos produtos da Umbrella, e são os primeiros a aparecer em qualquer incidente tóxico. Por causa da natureza perigosa desse trabalho, muitos dos membros desse grupo recebem perdão pelos crimes que cometeram, ou refúgio dos países dos quais fugiram. Muitos dos membros da equipe vêm de países comunistas que tiveram sua política nacional destruída, e têm um passado militar que os qualifica para operações de resgate. Mas para o desastre de Raccoon City, nenhum dos 120 membros dos quatro esquadrões foram enviados para salvar pessoas.

O objetivo da Umbrella era coletar informações sobre as B.O.W.s no maior desastre em uma área civilizada da história, e seu objetivo oficial de salvar as pessoas era apenas uma simulação. O U.B.C.S. foi considerado a cobaia perfeita para conseguir informações sobre as B.O.W.s e mutantes infectados secundariamente. Devido a esse plano cruel, quase todos os membros do U.B.C.S., das equipes Alpha a Delta, foram mortos. Eventualmente, apenas Carlos Oliveira do Esquadrão A da Equipe Delta escapou das garras dos monstros, com a ajuda da ex-membro do S.T.A.R.S. Jill Valentine.

Observadores
Aqueles que venderam seus companheiros visando ganho pessoal

Por trás do plano do U.B.C.S. de resgatar os sobreviventes estavam as intenções nefastas de seus membros que estavam agindo como observadores, ou espiões, para a Umbrella. Dentre estes observadores estavam o líder do Esquadrão B da Equipe Delta Nicholai Ginovaef e Tyrell Patrick, líder do Esquadrão A da Equipe Bravo. Esses observadores seguiam ordens especiais de monitorar seus companheiros enfrentando os monstros, coletar dados de batalha, recuperar amostras de vários laboratórios da Umbrella e destruir qualquer evidência que ligasse a Umbrella ao desastre. Era, obviamente, de grande importância que seu propósito real ficasse em segredo. Isso levou Nicholai e os outros observadores a usarem seus companheiros de equipe como peões dispensáveis, e muitos foram cruelmente sacrificados.

Antes da missão de “resgate”, os observadores foram inoculados com uma vacina de melhor qualidade do que aquelas que seus companheiros receberam, receberam instruções especiais sobre rotas de fuga pouco conhecidas e métodos confiáveis de contatar agentes externos para poderem relatar seu progresso e serem resgatados se necessário. Dessa forma, eles foram capazes de realizar seus deveres calma e friamente. Se essa missão fosse dada a alguém de caráter, como Mikhail Victor, ela não teriam ido tão bem. Para a Umbrella, era mais fácil controlar aqueles com desejos egoístas por dinheiro e que venderiam seus amigos, do que aqueles com senso de justiça e moral. Nicholai em particular serviu de forma excelente com seu comportamento frio e implacável.


Ordem Escrita para os Supervisores

(Written Order to Supervisors)

Requisitos da Missão: Bravo 16

1. Obter e proteger amostras de todas as informações relacionada ao caso. Observar e registrar os dados de combate da UBCS.

2. Destruir todas as evidências, incluindo as intalações médicas que possuem os arquivos de tratamento médico.

3. Checar a habilidade da cobaia em cumprir a missão.

Assim que a missão for completada, evacuar a área. Lembre que você não deve ajudar ninguém que não seja um supervisor, nem trazer nada de volta que possa ter sua origem rastreada.


Livro de Bolso do Mercenário

(Mercenary’s Pocketbook)

26 de Setembro

Fazem apenas três horas desde que a missão começou, mas a equipe se resume à eu e Campbell. O número de zumbis é muito maior do que o que nós esperávamos. Não resta nenhuma esperança para essa cidade. Nós já injetamos o anticorpo para o vírus, mas eu não tenho certeza de que ele irá funcionar. Eu não sei se eu vou sobreviver…

27 de Setembro

Nós conseguimos chegar à torre do relógio. Em nosso desespero, nós roubamos as armas de alguns membros feridos e usamos os cidadãos sobreviventes como iscas. Nós fomos ensinados a fazer isso para conseguir sobreviver no campo de batalha, mas eu nunca gostei disso. Porém, uma garota apareceu na torre do relógio antes de mim. Ela é uma dos sobreviventes. Ela se parece muito com a minha irmã antes de morrer de fome…

28 de Setembro

Eu queria ir embora o mais rápido possível, mas a garota não. O pai dela insistiu que ele não deixaria a cidade onde sua amada esposa descansa em paz. Eu realmente queria salvar a garota, mas Campbell disse, “Tudo que me importa são as nossas vidas”. Eu me sentia assim antes, mas agora… A torre do relógio se tornou um lugar perigoso e eu não quero mais cometer erros…