Traduções, Artigos, Entrevistas

Posts com tag “Edward Ashford

Umbrella

Escada para o Sol

O lema da Umbrella Pharmaceutical, Inc. era “preservando a saúde das pessoas”.  Por trás de toda a sua íntegra imagem pública, entretanto, a Umbrella mascarava um propósito sombrio: o desenvolvimento ilegal de vírus e B.O.W.s (Armas Bio-Orgânicas)¹. A grande corporação internacional foi oficialmente estabelecida em 1968, mas a razão para sua fundação vem de quase cem anos antes, em meados do século 19.

Durante este período de tempo, manchetes de jornais contavam lendas de exploradores intrépidos fazendo explorações na África. Henry Travis, um membro da próspera companhia mercantil Travis Trading, decidiu seguir estes passos, e usou o dinheiro de sua família para custear sua própria expedição ao continente. Ele publicou um relato de sua jornada em uma enciclopédia de 72 volumes intitulada “Inspeção da História Natural²”, mas seus relatórios meticulosamente detalhados foram rejeitados como o produto de pura licença criativa. No fim, apenas algumas poucas cópias do conjunto foram publicadas, para serem vendidas como meros romances.

Nas décadas seguintes, a Inspeção da História Natural foi preservada pelo seu valor estético entre um pequeno grupo de colecionadores apaixonados. Logo, encontrou nova apreciação nas mãos de Ozwell E. Spencer, um membro de uma poderosa família de nobres e posteriormente fundador da Umbrella. Spencer teve interesse na descrição do livro de costumes folclóricos regionais, particularmente dos rituais da tribo Ndipaya; era dito que eles possuíam uma flor, conhecida como “Escada para o Sol”, que concedia grande poder àqueles que a consumiam.

Local de cultivo da flor Escada para o Sol (Resident Evil 5)

Com o intuito de aprender mais sobre essa misteriosa flor, Spencer chefiou uma expedição à África em 1966, acompanhado do virologista James Marcus e seu nobre companheiro Edward Ashford. Usando as descrições fornecidas na Inspeção da História Natural, eles vasculharam as terras da tribo Ndipaya e eventualmente encontraram as ruínas antigas onde a Escada para o Sol crescia. Com as ruínas eles encontraram uma câmara sagrada, o único lugar onda as plantas iriam crescer. A câmara era conhecida como “O Jardim do Sol”.

As pesquisas sobre a Escada para o Sol foram realizadas principalmente por Marcus e seu pupilo, o pesquisador chefe Brandon Bailey. Aqueles primeiros dias foram brutais: O pequeno grupo foi forçado a defender-se dos constantes ataques dos legítimos proprietários  do jardim, os Ndipaya, sem nem mesmo a garantia de que aquela pesquisa levaria a algum lugar. Naquele severo ambiente, até mesmo Marcus começara a tremer nas bases.

Então enfim, após três meses de pesquisa, tudo valeu a pena. Como Marcus havia teorizado, a flor carregava em suas pétalas um vírus anteriormente não descoberto que podia recombinar o código genético de um organismo. Eles chamaram o vírus de “Progenitor”, e então nomearam a planta “Flor Progenitora”. Marcus rapidamente teve as flores trazidas para seu próprio laboratório em casa.

Marcus queria se jogar na pesquisa do Progenitor, mas ele imediatamente encontrou uma barreira inesperada: as flores cultivadas no laboratório não produziam o vírus Progenitor! Mesmo quando o ambiente foi ajustado para se assemelhar às condições da câmara africana – água, solo, temperatura, umidade, luz solar – as pétalas ainda assim não produziam o vírus. Marcus rapidamente esgotou o suprimento do vírus que ele havia trazido da África, e um ano se passou sem que houvesse resultados úteis.


1 – Bio-Organic Weapons no original.
2 – Survey of Natural History, no original .
3 – Progenitor Flower, no original.


Memórias de Patrick 1

(Patrick’s Memoirs 1)

Por um momento, parecia que Mestre Spencer recuperaria sua antiga saúde, mas o destino não foi tão gentil, e agora ele se limita a ficar em seu estúdio por dias a fio. Faz dias desde que eu o vi fazer suas refeições na sala de jantar. Eu tenho me esforçado para preparar as refeições que ele mais gosta, e as levo todos os dias para o estúdio. Infelizmente, ele não tem força para comer nada além de sopas e outros líquidos.

Não me lembro de um momento na história dessa família em que a situação esteve tão terrível quanto está agora. Nas gerações passadas, a Propriedade Spencer foi frequentada por algumas das mais bem-relacionadas socialites européias. Agora, só restaram funcionários esqueléticos para cuidar de um homem que se mantém virtualmente isolado em uma de suas muitas residências.
Minha família tem estado a serviço da Família Spencer desde o tempo de seu bisavô. Esse rápido estado de declínio seria inimaginável, mesmo uma geração atrás.
Eu me lembro com afeto dos dias de minha juventude; mas que agora parecem ter acontecido uma vida atrás. Isso foi cerca de 50 anos atrás, quando meu pai era o mordomo-chefe dessa residência. Nessa época, eu estava aprendendo suas funções para sucedê-lo, e sempre havia alguma tarefa ou recado que me mantinham correndo pela casa.

Eu me lembro como Lord Ashford, outro aristocrata membro de uma família célebre, e um dos colegas de escola de Mestre Spencer, Doutor Marcus, encontraram refúgio do calor do verão nessa propriedade. Meu pai e eu os acompanhamos e fizemos o nosso melhor para ver o que eles queriam, pra nada.
Talvez por que eu fosse a pessoa mais jovem por perto, eles ficavam me provocando como se fosse um deles. Eu me lembro de quando Lord Ashford me ofereceu o primeiro conhaque que tomei em minha vida. Foi no segundo andar da sala de jantar, atrás das estátuas de pedra alinhadas na sala. Eu nunca esquecerei o aroma doce que chegou às minhas narinas quando ele abriu a garrafa. Mas esses momentos tão queridos são apenas memórias agora. Lord Ashford, Doutor Marcus, e é claro, meu pai, estão todos mortos. Apenas Mestre Spencer ainda está vivo, e eu temo que lhe restem poucos dias de vida.
Quando Mestre Spencer morrer, esse será o fim de sua ilustre família, assim como o fim do serviço de minha família à ela. Agora, só me resta esperar pelo inevitável.


Resident Evil CODE: Veronica – Perguntas & Respostas

As forças secretas que atacaram a Ilha Rockfort trouxeram intencionalmente o T-vírus, para provocar o acidente biológico na ilha?
Kato: O acidente biológico ocorreu por que o depósito de vírus da ilha foi atacado pelas forças secretas. Vários tipos diferentes de vírus e B.O.W.s eram armazenados na instalação de treinamento militar, para treinos anti-B.O.W./vírus.

A Ilha Rockfort não era relacionada à Família Ashford até Alfred se tornar o comandante daquela instalação?
Kato: A Ilha Rockfort pertence à Família Ashford e eles retiraram os habitantes do local quando a Umbrella construiu as instalações.

A palavra “Vírus criador¹” é usada pela primeira vez na série. Esse vírus é o mesmo vírus que é chamado “Cray virus²” no Resident Evil original?
Kato: Sim, os detalhes sobre esse vírus serão esclarecidos no Resident Evil 0.

Em Resident Evil 2, William Birkin desenvolveu o T-vírus, mas por que em Resident Evil Code: Veronica, T-vírus é um termo geral da variação do vírus criador?
Kato: William Birkin fez o T-vírus que foi desenvolvido no laboratório Arklay. Outros T-vírus foram desenvolvidos em instalações diferentes e não estão relacionados ao trabalho de Birkin.

Há alguma história por trás da caixa de música na sala de Alfred?
Kato: Desde que Alexia entrou em seu sono, Alfred vinha vivendo das memórias de quando ele estava com Alexia. Essa caixinha de música foi dada por Alexander quando Alexia se formou e é uma recordação de Alfred. O password 1971 é o ano de nascimento dos dois.

O que Leon estava fazendo quando Claire enviou o e-mail para ele?
Kato: Leon é um dos membros do grupo anti-Umbrella. Quando Claire enviou o e-mail para ele, ele estava fazendo outra tarefa anti-Umbrella e ele não pôde ir ajudar Claire – essa história já está completa mas eu ainda não posso dizer que tipo de história é.
Jill, Barry e Leon são membros do grupo anti-Umbrella, mas se o grupo em que Jill e outros estão é o mesmo, não se sabe.

O Projeto “Code: Veronica” é um projeto conjunto de Alexander e Edward?
Kato: Não, Edward sabia sobre o projeto mas Alexander trabalhou no projeto sozinho.

Alexander não trabalhou na pesquisa do T-vírus?
Kato: No início, Alexander e Edward trabalharam juntos, mas Alexander percebeu que ele não tinha habilidade o suficiente para trabalhar com a pesquisa do T-vírus e mudou apara a pesquisa de engenharia genética.

Como Alexander conseguiu o gene de Veronica?
Kato: O corpo de Veronica era mantido no subsolo da propriedade³ Ashford, na Europa.

¹ – “Founder Virus”, no original. Refere-se ao Progenitor.
² – Clay Vírus. Também refere-se ao Progenitor.
³ – “Manor”, no original. Uma espécie de castelo, as vezes fortificado, comum no período medieval. Não encontrei referências à essa propriedade em lugar algum, porém mais informações sobre o termo em si podem ser buscadas e compiladas no futuro.

Créditos:

Tradução Japonês/Inglês: Doughboy, do Morbid Creations.
Tradução Inglês/Português: Davi Redfield.