Traduções, Artigos, Entrevistas

Resident Evil 5

Memórias de Patrick 3

(Patrick’s Memoirs 3)

Eu tenho sido empregado do Mestre Spencer a maior parte da minha vida adulta. Porém, ultimamente, eu tenho achado suas ações incompreensíveis. Por exemplo, ele tomou todas as medidas possíveis para manter seu paradeiro oculto do restante do mundo. Por que razão, eu não sei.
Então, um dia, ele me pediu para encontrar um certo homem e dizer à ele seu paradeiro. Eu não sei por que ele desejaria tanto entrar em contato com esse homem, mas talvez ele quisesse ver se alguém poderia encontrá-lo.
O homem em questão era o Sr. Albert Wesker, um nome que eu não ouvia há muito tempo. Eu só o encontrei uma vez, e foi há mais de 10 anos.
Tenho vergonha de admitir que não me recordo de seu rosto, já que como mordomo chefe, é meu trabalho me lembrar das pessoas. O motivo, acredito eu, foram os seus olhos – aqueles olhos frios, desprovidos de sentimentos, que ofuscaram completamente suas outras características. De qualquer forma, tenho tentado fazer com que a informação chegue às mãos de Wesker, sem que ele saiba que isso só aconteceu por desejo do próprio Mestre Spencer.
Eu conheço um certo indivíduo inescrupuloso que poderia colocar essa informação nas ruas, pelo preço certo. Ele é o tipo de pessoa que não liga com quem fala. O que faz o indivíduo que encontrei tão importante é que ele trabalha para uma espiã que tem contatos regulares com Wesker.
Eu paguei esse homem (não me recordo se seu nome era Roberto ou Ricardo) mais do que ele merecia, e dei à ele o mínimo de informações necessárias para cumprir os desejos de Mestre Spencer.
Eu levei honrosamente as ordens de Mestre Spencer à cabo. Foi nesse ponto em que a situação tomou um rumo ainda mais estranho.
O mestre, ele me deixou ir, mas eu não sei por quê. Eu perguntei à ele o motivo – a única vez na vida em que eu o questionei – mas ele respondeu apenas com o silêncio.
Eu não sei o que fazer agora. Fui tomado por um sentimento de perda. Tudo aquilo que eu conheci se foi. Eu dediquei minha vida inteira a servir a Família Spencer, e agora esse livro foi fechado à força sem nenhum motivo aparente.
Os únicos que continuarão por aqui serão os nada confiáveis guardas de segurança e as pessoas aprisionadas abaixo da casa. Eu duvido muito da habilidade dos guardas em atender todas as necessidade de Mestre Spencer.
Será que ele planeja morrer? Não! Ele não é esse tipo de homem. Ele não iria querer deixar todos os seus assuntos inacabados dessa forma.
Mestre Spencer deve ter algumas grandes maquinações em andamento, que estão além de minha compreensão.
De qualquer forma, eu só posso obedecer a seus desejos e ir embora. Eu serei leal até o fim, mesmo que fazer isso possa partir meu coração.

(Há outro arquivo aqui. Parece ser uma lista de cobaias.)

Cobaias

001: Hans
002: Felicia
003: Marco
004: Jonah
005: Irma
006: Ken
007: Laura
008: William
009: Hiro
010: Derek
011: Miles
012: Alex
013: Albert


Memórias de Patrick 2

(Patrick’s Memoirs 2)

Eu não consigo parar de pensar nos gritos daquelas pobres almas aprisionadas nos calabouços. Eu administrei o vírus em todos eles como havia sido instruído pelo Mestre Spencer, uma semana atrás. O que quer que eles tenham se tornado agora, não é mais humano.
Ajudei em diversos experimentos, seguindo ordens de Mestre Spencer. Eu não sei em que um simples mordomo nem mesmo formado em ciências como eu poderia ser útil, mas devo sentir orgulho do mestre confiar em mim a ponto de compartilhar seu importante trabalho. Ele normalmente não tem nada além de desprezo e desconfiança ao seu redor.
Porém, eu não consigo evitar os sentimentos conflitantes entre como me sinto e como deveria me sentir, em meu estado mental atual. Por um lado, eu me sinto extremamente alegre em poder ajudar o mestre de qualquer forma que seja; por outro lado, sinto como se eu estivesse perdendo um pedaço de minha alma a cada experimento em que eu o ajudo. A única maneira de preservar minhas faculdades mentais é tirar uma folga, ou tentar abandonar qualquer emoção.
Em qualquer um dos casos, eu devo agir e não questionar o mestre.
Dever e honra: é isso que está em jogo.
Há gerações, minha família tem servido lealmente a Família Spencer. Eu não trairei meus deveres, e servirei Mestre Spencer até o fim. Eu dediquei minha vida à serví-lo, e não há como abandoná-lo agora.
Chegou a hora de checar as cobaias e relatar sua condição atual para o Mestre Spencer.
Eu irei cumprir meus deveres, e o farei com honra.


Memórias de Patrick 1

(Patrick’s Memoirs 1)

Por um momento, parecia que Mestre Spencer recuperaria sua antiga saúde, mas o destino não foi tão gentil, e agora ele se limita a ficar em seu estúdio por dias a fio. Faz dias desde que eu o vi fazer suas refeições na sala de jantar. Eu tenho me esforçado para preparar as refeições que ele mais gosta, e as levo todos os dias para o estúdio. Infelizmente, ele não tem força para comer nada além de sopas e outros líquidos.

Não me lembro de um momento na história dessa família em que a situação esteve tão terrível quanto está agora. Nas gerações passadas, a Propriedade Spencer foi frequentada por algumas das mais bem-relacionadas socialites européias. Agora, só restaram funcionários esqueléticos para cuidar de um homem que se mantém virtualmente isolado em uma de suas muitas residências.
Minha família tem estado a serviço da Família Spencer desde o tempo de seu bisavô. Esse rápido estado de declínio seria inimaginável, mesmo uma geração atrás.
Eu me lembro com afeto dos dias de minha juventude; mas que agora parecem ter acontecido uma vida atrás. Isso foi cerca de 50 anos atrás, quando meu pai era o mordomo-chefe dessa residência. Nessa época, eu estava aprendendo suas funções para sucedê-lo, e sempre havia alguma tarefa ou recado que me mantinham correndo pela casa.

Eu me lembro como Lord Ashford, outro aristocrata membro de uma família célebre, e um dos colegas de escola de Mestre Spencer, Doutor Marcus, encontraram refúgio do calor do verão nessa propriedade. Meu pai e eu os acompanhamos e fizemos o nosso melhor para ver o que eles queriam, pra nada.
Talvez por que eu fosse a pessoa mais jovem por perto, eles ficavam me provocando como se fosse um deles. Eu me lembro de quando Lord Ashford me ofereceu o primeiro conhaque que tomei em minha vida. Foi no segundo andar da sala de jantar, atrás das estátuas de pedra alinhadas na sala. Eu nunca esquecerei o aroma doce que chegou às minhas narinas quando ele abriu a garrafa. Mas esses momentos tão queridos são apenas memórias agora. Lord Ashford, Doutor Marcus, e é claro, meu pai, estão todos mortos. Apenas Mestre Spencer ainda está vivo, e eu temo que lhe restem poucos dias de vida.
Quando Mestre Spencer morrer, esse será o fim de sua ilustre família, assim como o fim do serviço de minha família à ela. Agora, só me resta esperar pelo inevitável.


Memórias de Spencer 4

(Spencer’s Memoirs 4)

Finalmente! Um relatório de sucesso!
O experimento foi um sucesso!
Só a notícia já me fez sentir uma nova energia fluindo pelas minhas veias.
Eu me sinto rejuvenescido. O jantar da noite passada até mesmo pareceu mais doce. O vinho, mais excelente. Meu mordomo, Patrick, é realmente um sábio na culinária.
Infelizmente, essa alegria durou pouco.
Alex desapareceu! Eu estaria menos preocupado se essa fosse a única notícia lamentável relacionada à ilha. Mas os outros pesquisadores também desapareceram! Até mesmo as cobaias desapareceram!
E o mais importante, todos os materiais de pesquisa incluindo o vírus que faria de mim um deus não foram encontrados!
Eu fui traído!
Eu me permiti ser traído novamente!
Eu deveria ter aprendido com os erros que cometi com Albert!
Agora, minha vida está na ponta de uma faca.
A única pessoa na qual eu posso confiar é meu fiel mordomo, Patrick.
Nele reside minha última esperança de encontrar o vírus que irá me curar dessa maldita doença.
Mas o tempo está do meu lado?
Essa é a pergunta que assola minha mente.
E apenas o deus que eu vou me tornar pode responder essa questão.


Memórias de Spencer 3

(Spencer’s Memoirs 3)

Eu esperei, esperei, e não recebi nenhuma notícia da ilha. Já se passou um ano desde que eles partiram, e eu enviei milhares e milhares de cobaias para a sua pesquisa.
Tão logo Alex faz uma nova melhoria no vírus, a equipe o administra em uma nova leva de cobaias. Infelizmente, eles não tem tempo de estudar o vírus antes de testá-lo. Se ele parece viável, eles avançam e vêem como as cobaias reagem à ele.
Eu suponho que tudo isso já estava previsto. Não é culpa de Alex.
Eu tenho sido impaciente: é verdade, mas a situação é desesperadora.
A idade não apenas devastou essa carcaça inútil, como também atacou meus órgãos internos e tornou muitos deles virtualmente inúteis. O pouco de funcionalidade que me resta eu devo às máquinas conectadas ao meu corpo. O tempo é um inimigo impiedoso.
Eu estou contando com você, Alex! Apenas você pode me dar a chave para a vida eterna!