Traduções, Artigos, Entrevistas

Projeto G-vírus

Introdução

Este artigo falará sobre o G-vírus durante a saga Resident Evil; apresentando o máximo de informações sobre a história do desenvolvimento, como o vírus age no corpo de um hospedeiro, pessoas envolvidas e B.O.W.s criadas por ele. Sempre apresentando referências vindas dos jogos e livros.

Capítulo 1: Gene Vírus

G-vírus

G-vírus, Imagem 1.

O G-vírus ou Gene Vírus é um retrovírus descoberto em 1991 por William Birkin, um grande cientista da Umbrella. Esse vírus foi um dos vírus mais fortes criados pela empresa, sendo considerada uma grande arma biológica, sendo ainda depois classificado pelo B.S.A.A. como um vírus de nível 10 de periculosidade.

“G 

Ao contrário de seu primo, t-vírus, cujos efeitos chegam ao fim após uma única mutação, o G-vírus afeta seu hospedeiro a nível genético, evolução e mudança de DNA para atender suas necessidades. Ele pode até mesmo reproduzir. É talvez a invenção mais malvada do século.

…”

Trecho retirado do livro Resident Evil Archives 1, pág 161.

Criado sem intenções por um processo chamado “Shift Antigênico”, nele quando mais de um vírus infectam a mesma célula algo dá errado e seus materiais genéticos (RNA) se juntam formando um novo vírus; Lisa foi usada como cobaia para várias versões do t-vírus durante anos e os vários vírus que a infectaram se juntaram formando a base que depois de estudado e melhorado seria o G-vírus.

Quando o G-vírus infecta uma pessoa, o vírus começa uma invasão celular gradual,  infectando as células do hospedeiro em nível molecular, reescrevendo seu código genético (DNA), já o hospedeiro começa a sofrer alterações que causarão mudanças biológicas no sistema do individuo, como crescimento acelerado de tecido, membros e órgãos. O vírus proporciona uma capacidade de regeneração fantástica. Qualquer ferimento, leve ou grave, é facilmente curado, pois o G revive as células transformando-as nas chamadas “células G” que irão se alimentar do hospedeiro gerando mais mutações espontâneas em seu organismo.

Esse processo irá gerar constantes mutações na pessoa infectada até que a estrutura do corpo original não exista mais. Porém o tempo que o G leva para dominar o corpo do hospedeiro transformando todas as células e multando totalmente o corpo do infectado, varia de individuo para individuo. Portanto a quantidade de mutações que existirá e como elas serão também varia de individuo para individuo. Outra diferença que vai variar por hospedeiros é a forma que a criatura G irá ter após o fim das mutações. Esse é o grande problema do G-vírus, ninguém tem como prever como o G-vírus vai evoluir e como parar a progressão. A questão de quantas mutações o G-vírus causará e quando elas vão parar não é certa por não existirem fatores que indiquem tais situações.

Diferente do t-vírus, o G-vírus não é transmitido de forma direta, como pela mordida ou contato com o sangue, para infectar um novo ser a criatura inicia um processo de reprodução implantando de forma forçada pela boca um embrião que irá substituir as células do infectado. Nesse processo caso o infectado não tenha relações ou heranças do código genético da criatura que o infectou o embrião vai sofrer de incompatibilidade e irá rejeitar o corpo, porém se a pessoa infectada for do mesmo sangue que a criatura, o embrião começará a mudar o organismo da pessoa gerando mutações até que a criatura G esteja completa. Durante  processo da infecção o hospedeiro sofrerá de febre alta, dores na região do estômago podendo causar desmaios.

O vírus é muito instável, isso porque mesmo depois de 7 anos de pesquisas, já com o vírus pronto, não houve testes o suficientes para traçar tais características e tentar desenvolver uma solução do caso. As pesquisas com o vírus pararam de ser feitas após o surto do t-vírus em Raccoon City, já que todos os cientistas que trabalhavam no projeto morreram infectados. No entanto anos depois um novo vírus foi criado juntando o t-vírus com o G-vírus, seu nome era t+G-vírus, esse vírus era uma variante criada na tentativa de controlar os efeitos descontrolados do G-vírus.

Vacina G

Vacina G, Imagem 2.

Com a intenção de criar uma cura, William criou uma vacina apelidada de “DEVIL”. Quando o vírus ainda está substituindo as células do corpo para o embrião se juntar totalmente ao corpo, o sistema imunológico do hospedeiro vai tentar parar o vírus e é nesse momento que a vacina deve ser aplicada. Usando anticorpos G, o sistema imunológico irá impedir que o vírus avance e irá matar o embrião. Mas a vacina não é capas de destruir o vírus no corpo da pessoa infectada ele apenas irá parar o avanço da infecção, portanto o vírus irá continuar incubado na pessoa. Outro problema da vacina é que ela só funciona em casos de pessoas infectadas pelo embrião, caso a pessoa tenha sido infectada com uma injeção do vírus, a mesma não será “curada” pela vacina. A primeira e única pessoa que foi usada à vacina na tentativa de impedir a infecção foi Sherry Birkin, filha de William, a vacina agiu como devia “curando” a menina.

“Antígeno do G-vírus

File

Antígeno do G-vírus, Imagem 3.

INSTRUÇÕES PARA A SÍNTESE DO ANTÍGENO DO G-VÍRUS – G-VACINA, CODINOME “DEVIL”

Todos os seres vivos infectados pelo G-vírus se reproduzirão a partir da implantação de um embrião dentro de outro ser vivo.

A menos que seja rejeitado pelo hospedeiro, o embrião se submeterá a um processo de invasão celular gradual, infectando as células do hospedeiro a nível molecular, a ponto de reescrever o seu DNA.

Uma vez que a mutação estiver completa, o hospedeiro será capaz de dar continuidade a este ciclo de auto-replicação. O tempo que o processo leva para percorrer seus estágios varia de indivíduo para indivíduo.

Nos primeiros estágios da invasão celular é possível interromper o processo de mutação através da manipulação do antígeno na G-Vacina.

Os procedimentos seguintes detalham a sua síntese.

A criação da vacina requer a base. Esta pode ser obtida através do ativador VAM. Primeiro, coloque o cartucho vazio no VAM e ative-o. Após certo tempo, o processo irá terminar e a base esbranquiçada estará no cartucho automaticamente. Em seguida, certifique-se de que a luz verde está ativada, remova o cartucho e siga para a próxima etapa.

Uma vez que a base for preparada, coloque-a na máquina da síntese de vacinas localizada na sala de experimentos de nível P-4.

A máquina é completamente automatizada e apenas requer que o usuário aperte o botão de início. Neste momento, o programa será executado automaticamente e a síntese estará pronta em cerca de 10 segundos.

Como a síntese do DEVIL é um processo extremamente delicado, sua qualidade irá variar com pequenos choques e mudanças de temperatura. É requisitada manipulação cuidadosa para a obtenção dos resultados esperados.”

Antígeno do G-vírus, File de Resident Evil 2.

Apenas 5 pessoas foram infectadas com o G-vírus, 4 delas durante o surto em Raccoon City e a outra em Harvardville. Esses foram:

  1. William Birkin
  2. Sherry Birkin
  3. Monica
  4. Brian Irons
  5. Curtis Miller

Dos 5 apenas Sherry Birkin sobreviveu graças à aplicação da vacina DEVIL, enquanto os outros 4 morreram, Brian e Monica não foram compatíveis com o embrião e sofreram a rejeição, enquanto Curtis e William chegaram a estágios avançados das mutações do G-vírus, antes de morrerem cada um em uma grande explosão.

“Filme A

Filme A, Imagem 4.

Experimento de administração do Código G Humano

15/9 15:24″

Filma A, File de Resident Evil 2, imagem 4.

Durante o surto em Raccoon todas as amostras do G-vírus quase foram perdidas, de todas apenas 3 saíram em segurança da cidade. Uma sendo levada por Ada Wong para ser entregue a Albert Wesker, outra resgatada por HUNK para a Umbrella, essa que depois serviria de base na produção para venda no mercado negro e criação do t+G-vírus e a última roubada por Frederic Downing com intenção de ser vendida.

Capítulo 2: William Birkin

Willian Birkin, Imagem 5.

Nascido em 1962, William Birkin foi uma criança prodígio se formando rapidamente e entrando para a Umbrella com apenas 15 anos, ele era um pesquisador conhecido mundialmente por suas pesquisas e trabalhou pesquisando vírus para a Umbrella. Durante o seu primeiro ano na empresa, ele trabalhou com o cientista James Marcus no desenvolvimento do t-vírus e, por ordem de Spencer, ele e Wesker tiveram que matar seu chefe para subir de cargo. Assim eles mataram James e foram nomeados pesquisadores chefes em Arklay. Algum tempo depois William foi nomeado como “Diretor da Chemical Plant Umbrella” e durante os anos seguintes se casou com uma colega de pesquisa, Annette Birkin e em 1986 os dois tiveram uma filha que deram o nome Sherry Birkin.

Albert Wesker e Willian Birkin eram os chefes de pesquisas do laboratório Arklay e eram responsáveis pelas pesquisas e desenvolvimento do t-vírus. Sua principal cobaia, Lisa Trevor, foi usada em várias experiências com amostras de vírus criados pela Umbrella, uma dessas experiências foi a infecção da mesma com o parasita NE-Alpha, nesse teste algo deu errado, o parasita se juntou ao corpo da cobaia sem causar efeitos visíveis. Foi então que os dois cientistas começaram a analisar Lisa para descobrir o que tinha dado errado e então a dupla se deparou no que futuramente seria chamado de G-vírus.

“…

Depois de muitos exames, apenas Birkin notou.

Existia definitivamente algo dentro dela.

Isso, no entanto, foi um desvio do projeto do t-vírus original e nos levou a uma direção totalmente nova e diferente.

Esse foi o início do projeto G-vírus, esse projeto mudou o nosso destino.

…”

Trecho retirado do Wesker’s Report 2.

Willian Birkin começou então a estudar aquilo e descobriu que poderia criar um novo vírus, mais forte que o t-vírus e em 1991 tomou frente de seu novo projeto pedindo autorização de Spencer para trabalhar na criação do novo vírus. Spencer então aprovou o projeto e autorizou a construção de um laboratório subterrâneo em Raccoon City com tecnologia, cientistas e espaço apropriado para o avanço das pesquisas. Dois anos depois o laboratório estava pronto e Willian passou a trabalhar lá. O projeto que teve início em 1991 durou 7 anos, porém as pesquisas e a produção do G-vírus só pararam devido ao surto em Raccoon City já que todos os pesquisadores morreram.

Durante o projeto, William começou a achar que após a conclusão do desenvolvimento do G-vírus, ele seria descartado e a Umbrella tomaria para si toda gloria pela criação do vírus sem o valorizar, então o cientista começou a tramar uma fuga. Ele fugiria com seu vírus e trabalharia para o governo americano sendo o pesquisador que trabalharia com B.O.Ws. O governo pretendia comprar B.O.Ws da Umbrella no mercado negro, mas viram Birkin como uma ótima oportunidade e aceitaram sua oferta. Já a sede da Umbrella não estava contente com a demora do desenvolvimento do novo vírus que também estava custando caro e depois de algum tempo começaram a desconfiar dos planos de William.

“William Birkin

William foi o descobridor do G-vírus, e o responsável de levá-lo às últimas consequências. Uma vez o orgulho da Umbrella Corporation, ele passou a discordar das políticas e procedimentos da companhia enquanto trabalhava no G-vírus. Foi nesta época que ele entrou em contato com o Exército dos EUA para negociar um acordo. Porém, apesar de William planejar monopolizar o vírus para si, seu plano foi destruído por um ataque das Forças Especiais da Umbrella. Pouco antes de sua morte, ele se injetou com o G-vírus, que o transformou em uma forma de vida conhecida simplesmente como G.”

William Birkin, File de Resident Evil Darkside Chronicles.

Então o ramo europeu decidiu enviar duas unidades de forças especiais da U.S.S. para resgatar as amostras do G-vírus. No dia 23 de setembro de 1998 os grupos liderados por HUNK cercou William no laboratório, Birkin não pretendia deixar que o esquadrão levasse “sua criação” e por um acidente ele foi baleado e deixado para morrer enquanto HUNK levava a maleta contendo as amostras do G-vírus. Enquanto fugiam, Willian injetou em seu corpo uma amostra do G-vírus que levava guardada com ele. O vírus começou a curar o corpo do cientista, fazendo-o sofrer mutações, aumentando drasticamente seu tamanho e força, também começou a desenvolver um grande olho em seu braço direito. A criatura começou então uma perseguição aos seus assassinos, louco por vingança, a perseguição durou até os esgotos da cidade onde a criatura os encurralou e matou; apenas HUNK sobreviveu desmaiado junto aos corpos de seus companheiros. Após algum tempo HUNK acordou e percebeu que ele tinha perdido todas as amostras do G-vírus, então durante 6 dias andou pelo centro de pesquisa subterrâneo a procura de outra amostra. Ele achou a amostra no dia 29 e saiu da cidade, durante esses dias teve que fugir de William que continuou perseguindo-o.

Durante esse tempo, William andou perseguindo as pessoas pelos esgotos e pelo laboratório, seu corpo não sofreu grandes mutações, apenas cresceu triplicando sua massa e duplicando seu tamanho. No dia 29 William esteve na delegacia onde matou Ben Bertolucci e infectou Brian Irons com uma larva G. Após sair da delegacia ele andou pelos esgotos novamente onde encontrou sua filha Sherry Birkin desmaiada e também a infectou com uma Larva G.

Sherry Birkin, Imagem 6.

Mais tarde no mesmo dia, William, indo em direção ao laboratório seguindo sua filha que estava sendo levada por Claire e Leon se encontrou com os dois no elevador para o laboratório. Nessa hora ele sofreu uma mutação onde garras cresceram no seu braço direito, um novo braço esquerdo, mais forte, cresceu enquanto o braço original se recolhia pela região do abdômen, a cabeça de William descia para a região esquerda do peito enquanto uma nova cabeça crescia no lugar. A criatura nessa forma já não tinha mais nenhum traço de raciocínio humano de William, ele só pensava em matar e se reproduzir. Leon e Claire lutaram com a criatura e, após ser ferido, o monstro fugiu.

Por causa dos danos recebidos na luta, William começou a se regenerar e o processo de substituição das células mortas gerou outra mutação algum tempo depois, nessa nova forma a criatura teve sua estrutura óssea modificada para se adequar aos dois braços extras e uma boca no seu peito começou a crescer. Durante o tempo que esteve nessa forma ele encontrou Annette Birkin e a matou. Mais tarde, na mesma noite, William se encontrou com Claire novamente e no encontro sofreu uma nova mutação; agora a criatura estava pesada demais para andar com duas patas, então seu braços passaram a agir como pernas, nessa hora ele andava sobre quatro patas, enquanto seus dois braços menores ainda agiam como suas funções principais, sua boca extra se tornou a única boca e ficou enorme. Nesse encontro Claire feriu a criatura e a deixou para morrer enquanto fugia do laboratório que iria explodir.

A criatura que William se tornou estava gravemente ferida, mas o G-vírus começou a regenerar seu corpo, William ainda estava perseguindo Sherry então ele continuou se rastejando até o local do trem de fuga. A criatura agora se alimentava de todos os seres que entravam em seu caminho para conseguir nutrientes necessários para sobreviver e ficar mais forte, vários zumbis foram absorvidos pelo corpo que agora estava totalmente deformado. William tentou matar Leon e Claire uma última vez, mas foi novamente ferido gravemente e deixado para morrer na explosão do laboratório.

William Birkin G-Type 1ª Forma (Resident Evil 2, The Darkside Chronicles e Operation Raccoon City)

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

Em sua primeira mutação, William ainda tem sua aparência humana, o vírus fez com que o cientista tivesse sua maça corporal dobrada, seu braço direito cresceu mais que o esquerdo nascendo um grande olho em seu ombro, que funciona como qualquer outro órgão. O começo do crescimento de outros dois braços menores já pode ser visto no abdômen.  Ele passou a ter uma força sobre-humana, se tornando destrutivo quando ataca. Enquanto andava pelos esgotos a criatura conseguiu uma grande barra de ferro que usa como arma para atacar suas vítimas. Ele só ataca com seu braço direito, sendo muito perigoso, porém seus ataques são lentos e acontecem dentro de um grande intervalo de tempo. É uma criatura bastante resistente graças ao vírus que lhe proporciona uma capacidade de regeneração fantástica.

William Birkin G-Type 2ª Forma (Resident Evil 2 e The Darkside Chronicles)

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

Após sofrer outra mutação, o G-vírus  assumiu o corpo de William deixando de existir qualquer vestígio mental do homem. Na sua segunda forma seu corpo está muito diferente, o processo do G-vírus gerou novos membros e órgãos no corpo e mudou sua estrutura óssea, sua cabeça foi deslocada para o peito esquerdo, enquanto uma nova cabeça cresceu; agora o cérebro G está controlando o corpo. Seu braço direito agora tem grandes garras e continua sendo o maior, mesmo com o crescimento do braço esquerdo, os dois braços que estavam se formando na região do abdômen agora estão soltos e são menores que os braços principais. No seu peito esquerdo se formou um inchaço por causa da mutação. Pouco da sua aparência humana restou, apenas a estrutura do corpo pode ser comparada ao de um humano, a mutação rasgou o corpo de William na primeira transformação e nessa mutação uma nova pele mais escura que a original se formou. Essa criatura é rápida e forte ataca suas vítimas em rápidos ataques com suas garras. É muito resistente graças à regeneração do G-vírus e só recua aos ataques depois de ter sofrido grandes danos físicos de armas de grande porte.

William Birkin G-Type 3ª Forma (Resident Evil 2 e The Darkside Chronicles)

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

Em sua terceira forma, a criatura está ainda maior e mais forte, seus braços principais foram movidos para trás do ombro e estão agora do mesmo tamanho. Duas enormes garras já existem, enquanto seu outro par de braços, agora com garras, se tornaram os braços principais. O G-vírus fortaleceu os músculos da região inferior do corpo dando ao G uma velocidade extrema. Um novo olho cresceu na coxa da perna esquerda e uma boca cheia de dentes se formou no centro do peito do monstro. Em sua cabeça os ossos do crânio e do queixo estão por cima de sua musculação, isso acontece apenas na região de sua cabeça. O G ataca com sucessivos ataques com suas garras dos braços maiores, sendo muito rápido. Como a última mutação, ele é incrivelmente resistente aos danos físicos e somente após ser ferido gravemente ele irá recuar aos ataques.

William Birkin G-Type 4ª Forma (Resident Evil 2 e The Darkside Chronicles)

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

Em sua nova forma, G está tão grande que suas pernas não suportam o peso de seu corpo, seus braços maiores passam a funcionar como pernas e a criatura passa a andar sobre quatro patas. A boca de seu peito se juntou com a boca da cabeça formando uma enorme boca cheia de grandes dentes. Seus braços menores agora são usados para agarrar e puxar as presas para a boca. Além dos olhos no braço direito e na coxa esquerda, dois novos olhos podem ser vistos no ombro esquerdo e nas costas. A criatura agora tem a capacidade de se alimentar como qualquer criatura.  Por estar andando sobre quatro patas, o G é muito ágil conseguindo correr pelas paredes, ele também consegue dar grandes saltos. Ele ataca suas vítimas com pulos, investidas e as devorando. Como já dito o G tem alta resistência a ataques e não recua fácil aos ataques.

William Birkin G-Type 5ª Forma (Resident Evil 2 e The Darkside Chronicles)

  

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

A sua quinta e última forma foi gerada após ser ferido gravemente em uma batalha. Para sobreviver, o G começou a devorar vários zumbis que encontrava pela frente e quanto mais ele comia mais seu corpo sofria mutações. Seus braços se tornaram tentáculos que a criatura usa para agarrar paredes com intuito de puxar o corpo que se tornou apenas um monte de carne e dentes. Os restos de carne devoradas que ainda não foram digeridos podem ser vistos vazando em várias partes do corpo. Sua resistência ainda é a mesma da quarta forma. Ele ataca com seus tentáculos, usando-os para agarrar as vítimas para devorá-las.

Capítulo 3: Seres Incompatíveis

G Adult Body Artwork, Imagem 7.

Durante o surto em Raccoon City duas pessoas foram infectadas por um embrião e sofreram o processo de rejeição. Uma foi Brian Irons e a outra foi Monica.

Brian Irons, Imagem 8.

Brian Irons era chefe de polícia de Raccoon City. Irons sempre recebeu suborno da Umbrella na condição de que qualquer caso relacionado a ela fosse desconsiderado e esquecido. Com esse dinheiro do suborno, Irons comprava várias obras de arte para sua coleção pessoal e as espalhava por toda delegacia. Brian tinha contato direto com William, que era quem passava informações importantes ou ordens para o chefe de polícia. Brian estava pensando em se candidatar a prefeito de Raccoon City, onde teria total apoio da Umbrella, mas o surto em Raccoon City aconteceu e nesse momento ele viu toda a sua vida sendo destruída pela Umbrella e perdeu a cabeça. Ele ordenou que a força policial agisse de forma desordenada, causando a morte de quase todos os policiais. Os poucos sobreviventes ele jurou caçar e matar ele mesmo. Na noite de 29 de setembro, Brian matou a filha do prefeito e a levou para sua sala de tortura, a qual tinha uma passagem que levava ao laboratório da Umbrella e era principal caminho por onde William passava para falar com Brian. Lá ele foi surpreendido por William, já em sua primeira mutação e infectado. Pouco tempo após a infecção, Brian sofreu à rejeição do embrião que o matou, rasgando o homem pra se libertar.

Monica, Imagem 9.

A outra pessoa infectada foi Monica, uma pesquisadora da Umbrella. Quando o surto começou já tinha acontecido um grande acidente no laboratório subterrâneo de Raccoon City, os “MA-125 Hunter R” que estavam sendo produzidos escaparam e começaram a matar todos os pesquisadores. Monica foi uma dos poucos sobreviventes após o laboratório ser congelado. Ela tinha sobrevivido junto com um amigo pesquisador o qual ela mesma matou. Após matar o amigo, Monica roubou uma G Larva, que estava sendo armazenada para fins de teste, com a intensão de vendê-la. No entanto a Larva roubada deveria ser mantida em um líquido certo para não despertar e Monica na pressa esqueceu-se de trocar o líquido da capsula, isso causou o despertar da Larva que atacou Monica, transformando a mulher em seu hospedeiro, mas durante o processo de infecção a pesquisadora morreu. Algum tempo depois da infecção o embrião rejeita o corpo de Monica, já morta, e começa sua mutação.

“Rejeitando O G-vírus

G: A nova criatura criada pela Umbrella, mas nunca oficialmente reconhecida por eles. Mas não é uma conclusão precipitada de que G vai mutar o corpo de seu hospedeiro. Se a incompatibilidade genética entre G e seu hospedeiro é insuperável, o corpo do anfitrião irá rejeitar a G Larva de seu sistema. Quando isso acontece, as células G força a reproduzir e se espalhar por todo o corpo, no que é chamado de falsa reprodução, e o resultado será o G Aldult Body. Quando isso acontece, uma parte do corpo do hospedeiro irá permanecer, e uma série de aspectos de uma mutação G completa torna-se aparentes. Esta criatura também vai reproduzir G Young Bodies de sua boca. Estes são reproduções G sem capacidade de se reproduzir.”

Trecho retirado do livro Resident Evil Archives 1, pág 162.

Durante o processo de infecção o embrião G pode não ser compatível com o hospedeiro o que causará uma rejeição onde o embrião irá matar o hospedeiro incompatível perfurando o mesmo na região do tórax para poder sair e crescer fora do corpo.

“G Young Bodies

Pequenos organismos liberados pela boca de um G Adult Body. Eles se arrastam pelo chão, saltam e atacam sua presa. Individualmente são fracos, mas quando atacam em grupos podem ser ameaçadores. Matá-los rapidamente é muito importante. Os jovens organismos G não podem se reproduzir.”

G Young Bodies, File de Resident Evil Darkside Chronicles.

Após a rejeição, as Larvas G, também conhecidas como G Young Bodies, irão sofrer uma mutação e crescerão com uma aparência humanoide desfigurada e deformada. Como qualquer criatura G, ela poderá produzir novas Larvas, porém não sofrerá mais nenhuma mutação. O nome dado para essa criatura é G Adult Body.

“G Adult Body

Um novo tipo de criatura, nascida de um organismo geneticamente rejeitado pelo G-vírus. É o resultado da reprodução forçada e falsa de células G, destruindo o corpo do hospedeiro e tornando-o inútil.

A forma adulta de G que nasceu a partir do chefe de polícia Brian Irons tinha um grande braço esquerdo com um olho, uma característica única dos organismos G. Esta criatura também vai reproduzir formas G jovens a partir de sua boca.

Estas são pequenas reproduções de G, com nenhuma capacidade de se auto-reproduzir.”

G Adult body, File de Resident Evil Darkside Chronicles.


G Young Bodies (Resident Evil 2, Outbreak e The Darkside Chronicles)

        

Classificação

Infecção Secundária: “G Young Bodies”

Organismo Base: N/A

Conhecida como G Larva ou G Embrião, essa pequena e viscosa criatura é muito fraca e é produzida tanto por criaturas G compatíveis ou incompatíveis. Eles apenas tentam infectar um hospedeiro para crescer. Quando está infectando um hospedeiro ele poderá rejeitar o corpo caso haja incompatibilidade genética e irá se tornar uma criatura G incompatível, caso o organismo seja compatível ele irá se juntar ao corpo criando uma nova criatura G. Ela apenas ataca algum inimigo na intenção de se hospedar no mesmo.

G-Type (Incompatível) “G Adult Body” (Resident Evil 2, Outbreak e The Darkside Chronicles)

                             

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

Vindo do corpo rejeitado a Larva irá sofrer uma única mutação pelo G-vírus e irá se tornar uma criatura G com estrutura humanoide totalmente desfigurada e deformada, costuma apresentar uma cauda mal desenvolvida, grande tumores na região das costas, podendo crescer até em média o dobro do tamanho de um humano. É muito forte e letal, porém a sua calda causa dificuldades na locomoção. Ataca inimigos com suas garras ou os empurrando com o braço e têm uma capacidade regenerativa inferior aos seres G compatíveis, sendo mais fácil de ser abatido já que não sofrerão mais mutações quando se regeneram.

Capítulo 4: Curtis Miller

Nascido em 1970 em Harvardville e criado na mesma cidade Curtis Miller é um cientista que perdeu sua mulher e filha no incidente em Raccoon City. Ele nunca perdoou o governo Americano por ter encobrir a verdade sobre o incidente e jurou revelar a verdade ao mundo.

Curtis Miller 1998, Imagem 10.

Ele era funcionário da empresa WilPharma e trabalhava como cientista nas pesquisas e desenvolvimento de vacinas para vírus. Curtis foi contra os testes da vacina do t-vírus na Índia e após discussões foi demitido da empresa. Fora da empresa ele se juntou a ONG TerraSave pressionando a empresa farmacêutica a divulgar os dados das pesquisas da vacina. Ele chegou a invadir e destruir escritórios da empresa e foi detido por isso.

Em 2005 Frederic Downing, um funcionário importante da WilPharma, procurou Curtis, falando sobre um plano para expor toda verdade sobre o bioterrorismo ao planeta, porém as verdadeiras intenções de Frederic era usar Curtis para testar o G-vírus, atuando em campo para ter dados de combate da criatura G para vender para o coronel Miguel Grandé. Curtis aceitou fazer parte do plano sem saber das verdadeiras intenções de Frederic, que deu a Curtis uma amostra do t-vírus que seria usada na infecção do aeroporto de Harvardville e uma amostra do G-vírus que Curtis deveria injetar em si mesmo no laboratório da WilPharma.

 

G-Type Curtis, Imagem 11.

Curtis então espalhou o t-vírus pelo aeroporto de Harvardville no dia em que o senador Ron Davis iria desembarcar no mesmo e saiu de lá antes que o local fosse fechado. Mais tarde no mesmo dia já de noite ele explodiu o laboratório da WilPharma e injetou o G-vírus no seu corpo.

Curtis Miller 2005, Imagem 12.

Angela Miller, irmã mais nova de Curtis, trabalha como capitã da Special Response Team (SRT) em Harvardville. Durante o surto do t-vírus no aeroporto da cidade, ela, junto com Leon Scott Kennedy e Claire Redfield, salvaram o senador Ron Davis. Claire seguiu para o laboratório da WilPharma junto com Frederic, enquanto Leon e Angela foram para a casa de Curtis, principal suspeito de iniciar o surto. A casa tinha sido encontrada em chamas e após uma ligação de Claire informando que uma bomba seria explodida e que Curtis estava no local Leon e Angela foram para o laboratório.

Curtis se encontrou com a irmã no laboratório, ele falou que revelaria a verdade de Raccoon City ao mundo e se afastou da irmã. Nesse momento Curtis começou a ter uma mutação, se transformando na primeira forma do organismo G. Com a explosão do laboratório, soldados foram acionados e eles chegaram onde Curtis e Angela estavam no momento em que Curtis se transformava, eles atiraram contra a criatura que usou seu grande braço direito para proteger sua irmã dos tiros. Curtis já havia matado a maioria dos soldados quando o intuito do G de se reproduzir fez com que ele parasse de matar os soldados para perseguir sua irmã. Leon salvou Angela e esmagou Curtis com toneladas de escombros de metal. Angela e Leon ajudaram os soldados sobreviventes a fugir enquanto Curtis sofria outra mutação embaixo dos escombros.

G-Type Curtis, Imagem 13.

Essa mutação fez com que a aparência humana Curtis sumisse. O G agora tinha assumido, porém diferentemente de William, um novo cérebro não foi criado pela mutação, o cérebro de Curtis ainda era o original, restando algum raciocínio do homem incubado. Ele se levantou e matou todos os soldados sobreviventes que tentavam escapar do local, indo depois perseguir Angela para se reproduzir, contudo o sistema de esterilização do laboratório causou uma explosão atrapalhando sua perseguição. Mesmo com a explosão  ele sobreviveu e continuou a perseguir a irmã. Quando conseguiu cercar Angela, Curtis achou uma foto de sua família e conseguiu recuperar a consciência e disse para sua irmã fugir. Logo ele perdeu a consciência e voltou a perseguir Angela novamente, porém a plataforma onde estava afundou e ele ficou pendurado em Angela, Leon então o feriu com um tiro no crânio fazendo-o cair morto em um grande poço em chamas.

Curtis Miller G-Type 1ª Forma (Resident Evil Degeneration)

 

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

O G-vírus no corpo de Curtis gerou rapidamente um crescimento do tamanho e da massa do corpo. De seu corpo original apenas a cabeça de Curtis podia ser vista. Seu braço direito cresceu ficando muito maior que o esquerdo, sua mão direita é grande e tem garras. Um olho enorme cresceu no seu ombro direito. Ele é muito rápido e pode saltar grandes distancias. Usa sua grande mão direita para se proteger de qualquer ataque e para atacar suas vítimas com suas garras. É bastante resistente a danos graças a grande facilidade de regeneração que o G-vírus proporciona.

Curtis Miller G-Type 2ª Forma (Resident Evil Degeneration)

Classificação

B.O.W. Modelo: “G-Type”

Organismo Base: Humano

Em sua segunda mutação o corpo do G mudou totalmente parecendo um grande réptil. Sua maça corporal ficou bastante reduzida deixando a criatura magra e esquelética, apenas seu braço direito permaneceu com uma aparência forte. Seus órgãos intestinais aparentam não existir mais, a massa de seu abdômen se resume em sua espinha, pouca carne e sua pele. A criatura agora ganhou uma longa cauda com sua ponta parecida com a ponta de uma lança. Mais nenhum traço de Curtis pode ser visto. Ele está enorme, porém sua redução drástica de peso dá a criatura leveza e agilidade impressionante, ela consegue saltar alturas impressionantes e correr rapidamente. Ele ataca suas vítimas com seu braço direito, que por sua força sobre-humana se torna uma arma letal. O G-vírus dá a criatura grande capacidade regenerativa deixando-a muito resistente a danos de armas e explosões.

Fontes e Referências

Sites usados:

https://whiteumbrellafiles.wordpress.com/

http://residentevil.wikia.com/Resident_Evil_Wiki

http://projectumbrella.net/

http://residentevil.com.br

Fotos:

http://projectumbrella.net/media/images

http://residentevil.wikia.com/Special:NewFiles

http://www.orkut.com.br/Main#AlbumList?uid=2027150051937447581

Livros e Outros:

Resident Evil: Archives

Resident Evil: Archives 2

Resident Evil 2 Official Guide Book

Research On Resident Evil 2 Final Edition

Resident Evil The Darkside Chronicles Official Guide Book

Wesker’s Report II

Jogos:

Resident Evil 2

Filmes:

Resident Evil Degeneration

Anúncios

4 Respostas

  1. Davi

    Muito bom mesmo, Billy!

    O artigo supremo sobre o G-vírus, para mim. *-*

    7 de fevereiro de 2012 às 9:34 pm

  2. Great!

    Keep on it!

    24 de fevereiro de 2012 às 6:58 pm

  3. Editado!

    13 de março de 2012 às 8:02 pm

  4. karacaaaaaaa muito massa,esse G-virus,só falta o t-virus cade tem q colocar em

    20 de maio de 2012 às 4:37 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s