Traduções, Artigos, Entrevistas

Umbrella

Projeto T-A.L.O.S

Tyrant Talos, produto do Projeto T-A.L.O.S.

Em 1998, Wesker foi designado para a recuperação do Centro de Treinamento em Gestão da Umbrella fechado, onde ele descobriu sobre o surto planejado pelo revivido Marcus. Wesker decidiu usar o incidente para se transferir para uma companhia rival. Quando o executivo da Umbrella Coronel Sergei Vladimir percebeu que Wesker planejava traí-los, ele enviou a criatura Ivan, uma derivação do Tyrant T-103, para destruí-lo. Wesker causou uma explosão no complexo de treinamento e fugiu, frustrando os planos de Sergei.

Sergei decidiu não perseguir Wesker, optando ao invés disso por executar sua própria missão secreta no Laboratório de Pesquisas de Arklay. Sua intenção era recuperar o projeto T-A.L.O.S. que ele havia começado lá como parte de uma de pesquisas de armas biológicas, e transferí-lo para seu país natal da Rússia para completá-lo.

O projeto T-A.L.O.S. era um plano para melhorar o Tyrant T-002, usado no Incidente da Mansão, e transformá-lo em uma nova geração de armas biológicas. A criatura, chamada de Talos T-011 em homenagem ao guardião mitológico de Creta, seria controlada por computador e equipado com armadura pesada e armas adequadas para destruir tanques e helicópteros. A prioridade principal de Sergei era a recuperação deste tipo-de-teste Talos.

Enquanto Wesker estava usando a equipe do S.T.A.R.S. para reunir dados de combate das B.O.W.s, Sergei transferiu todos os dados de pesquisa da Umbrella para o computador U.M.F.-013, e usou a AI defensiva do computador, Red Queen, para proibir o acesso de Wesker. Ele então trouxe Red Queen de volta com ele para a Rússia para continuar o desenvolvimento de Talos sob sua rigorosa supervisão.

O desenvolvimento em si tomaria lugar em um novo laboratório localizado em uma usina química abandonada da era soviética. A Umbrella tinha comprado o complexo através de uma empresa fantasma, e construiu um gigante laboratório de pesquisas abaixo dele.

O Projeto T-A.L.O.S. foi retomado nesse recém-construído “Laboratório de Pesquisa da Umbrella no Cáucaso” como uma tentativa de adquirir lucros para a Umbrella em meio a queda de suas ações ao ganhar um ponto de apoio no mercado negro de vendas de B.O.W. Sergei usou as amostras e os dados que ele tinha recuperado do Laboratório de Pesquisas de Arklay, e correu em direção à conclusão do projeto.

Infelizmente para Sergei, essas ambições não dariam em nada. Elas seriam esmagadas uma vez mais pelo traidor, Wesker.

Wesker tinha ido sozinho para o laboratório do Cáucaso, tanto para se vingar de Sergei quanto para alcançar seus próprios objetivos. Sergei soltou seus guarda-costas, os Ivans, mas Wesker os derrotou sem nem mesmo transpirar. Sem mais nenhum recurso, Sergei injetou em si mesmo o T-vírus, transformando-se em um poderoso monstro em uma última tentativa de esmagar Wesker.

Wesker, por outro lado, já havia dado a si mesmo habilidades super-humanas utilizando uma versão melhorada do T-vírus desenvolvida por Birkin. O resultado foi uma incrível confrontação entre dois oponentes super-humanos como o mundo nunca havia visto antes. Quando a fumaça da batalha brutal se dissipou, foi Wesker quem emergiu vitorioso, acabando para sempre com o sonho de Sergei de reviver a Umbrella. Estava tudo de acordo com suas filosofia: “A única coisa que pode derrotar o poder é mais poder”.

Wesker recuperou seu acesso ao U.M.F.-013 e roubou o Arquivo Umbrella, uma coleção de todos os dados acumulados pela Umbrella ao passar dos anos. Ele então deletou todos os backups dos dados do U.M.F.-013, e com seu usual ar calmo, deixou o laboratório de pesquisas para trás.

Red Queen

Laboratório do Cáucaso, onde estava localizado o Mainframe da Red Queen

A Red Queen era uma IA defensiva que residia no supercomputador U.M.F.-013 da Umbrella. Ela normalmente executava suas tarefas nas profundezas da rede mundial da empresa, mas durante emergências ela tomaria um papel ativo, executando ataques físicos ou cibernéticos para proteger seu sistema e dados. Seus objetivos de defesa primários eram:

1. A regulação dos complexos da Umbrella e de espólios financeiros.
2. A proteção dos executivos da Umbrella.

A Red Queen também era capaz de controlar remotamente o protótipo Tyrant Talos, graças a um chip de computador implantado em seu cérebro pelo executivo da Umbrella Sergei.

U.M.F.-013 era o décimo terceiro supercomputador no abrigo subterrâneo de Raccoon City. Seu mainframe continha um backup de todas os dados acumulados da Umbrella, conhecidos como o “Arquivo Umbrella”. Os dados contidos neste arquivo eram tão extensos que era dito que enquanto o backup existisse, o renascimento da Umbrella ainda seria teoricamente possível.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s