Traduções, Artigos, Entrevistas

A Lenda do Corvo Fedido

Caw, caw!

Por quase quatorze anos sua mente esteve vagando milhas acima, mas Elliot Thomas estava preso abaixo, na Terra, na entediante cidade de Sinchester.

Sozinho em sua casa na árvore, ele colou penas em suas asas, se preparando para o dia em que ele se uniria às fênix e quetzalcoatls no céu.

“Hora da janta!” gritou sua mãe da casa do outro lado do jardim.

Elliot sentou no centro da mesa. Um jantar na TV estava desafiando seu BO como o cheiro dominante na sala. À sua esquerda, sua mãe reclamava sobre seu dia no Hospital. À sua direita, seu pai estava absorto em seu smartphone.

Quanto a Elliot, seus olhos estavam fixos no ventilador do teto, a personalidade mais fascinante dentro de um raio de dez metros.

Na sala de aula no dia seguinte, Justin Shmakovski atirou um avião patético nele.

Dentro de segundos, Elliot tinha construído uma aeronave superior. Ele ficou de pé em sua cadeira e atirou rapidamente seu Papierflieger em seu inimigo insuspeito.

Zoom, splort! A maravilha da aviação de papel se chocou contra o frágil globo ocular de Justin.

“Sr. Thomas!” gritou seu professor. “Vá para a sala do diretor!”

Mais tarde naquele dia, Elliot estava murmurando baixo para si mesmo enquanto ele comia uma barra de chocolate no corredor.

Casey Wichtitz estava fumando perto dele e zombou dele. “Você nunca irá voar, Corvo Fedido,” ela riu. “Por que você não vai se masturbar para algum pornô de pássaros? Aposto que você pode bater uma mais do que bater as asas!”

“Vá se foder!” guinchou Elliot, enquanto corria para a porta.

Já estava escuro lá fora quando Elliot chegou em casa. Na calçada, ele passou por um homem magro que olhou para ele com intenso desespero, mesmo.

O homem abriu sua boca e disse, Hoovewaaah! Ooveezah!

Elliot tinha planejado comer sua barra de chocolate naquela noite, enquanto ele terminava sua obra-prima, mas ao invés disso ele a estendeu para o homem. “Eu sei o que você quer dizer,” ele respondeu.

O pátio da escola estava cheio na manhã seguinte, enquanto os colegas de classe de Elliot esperavam pelo primeiro sinal.

Caw, caw! Como se fossem um, os estudantes viraram seus olhos para o portão e viram Elliot vestido em sua roupa com asas. Depois de um momento de choque, eles começaram a rir.

Mas eles já estavam muito abaixo dele. Ele passou no meio deles e entrou na escola. Caw, caw! Ele passou pelos corredores, ziguezagueou subindo a escada…

Cawww! A escola teve um sobressalto coletivo quando eles viram o Corvo Fedido no telhado. Com um triunfante snap! ele abriu suas asas… e um momento depois, ele tinha saltado.

Os próximos dois segundos foram os mais belos de toda a vida de Elliot. Ele podia sentir os olhos deles sobre ele; ele estava voando, e a admiração deles o mantinha no ar.

Dez minutos depois, enquanto os orientadores limpavam os pedaços de Elliot de estudantes soluçantes e a polícia lutava para entender a história que você está lendo agora, o professor de Elliot olhou para baixo, para os destroços do garoto na calçada, e nunca esqueceu o que ele viu.

Uma mão sangrenta tinha formado o sinal da paz. A outra estava lhe dando o dedo.

FIM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s