Traduções, Artigos, Entrevistas

S.T.A.R.S.

– Apresentação

Esse artigo que vocês vão ler (espero) é produto de vários períodos de puro ócio. Se existe um motivo pelo qual eu terminei essa joça foi porque incrivelmente me sobrou alguma coisa na franquia Resident Evil que ainda me fascina.

Gosto de achar que as melhores histórias dessa franquia não aparecem sob os holofotes dos protagonistas. Essas histórias de personagens secundários e até mesmo coadjuvantes me atrai desde que comecei a acompanhar essa franquia.

… Por isso não é surpreendente me ver pagando pau aqui ou em outras comunas pros personagens mais “esquecidos” da série, como o Bruce, a Sherry, o Barry, a Rebecca… Enfim.

É essa paixão pelas “histórias por trás da história” que me levou a escrever esse artigo. Espero que os leitores leiam com um pouco mais de paciência do que eu tive pra elaborar o texto.

Esse é o primeiro de três artigos que eu pretendo escrever sobre o S.T.A.R.S., que todo mundo já ouviu falar, mas que desperta interesse em tão pouca gente…

Aqui eu vou abordar o S.T.A.R.S. em um aspecto mais geral, espero que gostem.

1 – Introdução

O Serviço de Táticas Especiais e Resgate (Special Tactics And Rescue Service, no original) é uma espécie de “polícia especial”, custeada por fundos privados. Esse esquadrão de elite responderia aos casos de terrorismo, crime organizado e outros casos difíceis demais para a polícia comum. [1]

A unidade foi fundada em 1996, na delegacia de Raccoon City, e seu escritório fica localizado no segundo andar [2] desse departamento (R.P.D.). O financiamento da Umbrella Corp., uma gigantesca indústria farmacêutica, responsável também pelo desenvolvimento propriamente dito dessa pequena cidade, foi essencial para a criação da unidade. A criação da unidade da S.T.A.R.S. em Raccoon fazia parte do plano de campanha do prefeito Michael Warren, intitulado “Uma brilhante Raccoon City do 21º século”. [3]

O financiamento massivo da Umbrella possibilitou a compra dos melhores equipamentos e armas da época. Barry Burton [4] e os irmãos Joe e Robert Kendo providenciaram aos S.T.A.R.S. as melhores armas, personalizadas para atingir o melhor desempenho, seguindo as preferências e particularidades de cada um dos membros o esquadrão. Exemplo disso são as Berettas M92FS “Samurai Edge” personalizadas pelo próprio Joe Kendo [5] para a equipe Alpha. (Vale lembrar que o “S” no nome das erettas vem de S.T.A.R.S. Special”.) [6]

Detalhes sobre os equipamentos serão vistos no capítulo 3 desse mesmo artigo.

—–

1 “This elite group was formed to respond to terrorism, organized crime, and emergencies too difficult for the regular police force to handle.” – Resident Evil – The Darkside Chronicles → Notas sobre a S.T.A.R.S. | Ver também o artigo da página 258 de Resident Evil Archives sobre os S.T.A.R.S.2 Entenda-se por segundo andar o piso que fica acima do térreo, no caso da delegacia.

3 “Raccoon City had begun a plan called ‘A bright, 21st century Raccoon City’ with the help of generous funding from Umbrella.” – Resident Evil Archives, pg. 258 → Seção de palavras-chave → Palavra-chave 10: S.T.A.R.S.

4 “Former SWAT team member, Barry maintains and supplies weapons for all S.T.A.R.S. members.” – Manual de RE1 original para PC, pg. 15 → S.T.A.R.S. Bios → Alpha Team → Barry Burton

5 “Altough the customization of the S.T.A.R.S. handgun, the Samurai Edge, was assigned to Robert, the actual work was left to his older brother, Joe Kendo.” – Resident Evil Archives, pg. 138 → Seção de personagens → Robert Kendo

6 “The S in the gun’s model, M92FS, stands for S.T.A.R.S. Special” – Resident Evil Archives, pg. 258 → Seção de palavras-chave → Palavra-chave 10: S.T.A.R.S.

2 – Divisão Interna

O S.T.A.R.S. é dividido em duas equipes principais: Alpha e Bravo. Cada equipe deveria ter no mínimo cinco membros: Um líder, um piloto, um especialista em combate, um especialista em armas e um médico. [1]

A escolha dos membros geralmente se dá com soldados de corporações policiais (como a SWAT, no caso de Barry Burton [2]) ou militares (como a Força Aérea dos EUA, no caso de Chris Redfield [3]). Geralmente, buscam soldados que se destaquem em áreas específicas, mesmo que sejam relativamente jovens. O maior exemplo dessa regra é Rebecca Chambers, que foi recrutada para o Bravo Team com apenas 18 anos. [4] Isso faz com que qualquer pessoa possa ser selecionada, desde que tenha conhecimentos e habilidades suficientes para tal. Após a seleção, todos os membros são submetidos a um treinamento extensivo em várias áreas para expandir seu leque de habilidades.

Cada membro das equipes é designado com um posto específico, que pode ser: [5]

– Líder: O comandante do time, responsável pelas decisões tomadas durante a missão.
– Point Man: Soldado que realiza missões de patrulhamento, reconhecimento e observação.
– BackUp Man: Soldado que dá suporte ao Point Man.
– Omni Man: Responsável pela manutenção de armas e veículos.
– Rear Security: Encarregado de estabelecer contato entre o QG e o helicóptero, bem como tratar companheiros feridos.

Bravo Team
– Líder: Enrico Marini
– Point Man: Kenneth J. Sullivan
– BackUp Man: Richard Aiken
– Omni Man: Forest Speyer
– Rear Security: Edward Dewey
– Rear Security: Rebecca Chambers

Alpha Team
– Líder: Albert Wesker
– Point Man: Chris Redfield
– BackUp Man: Barry Burton
– Omni Man: Joseph Frost
– Rear Security: Jill Valentine
– Rear Security: Brad Vickers

 
Fotos dos integrantes das duas equipes. Rebecca só havia sido recrutada em 1998, por isso não aparece na primeira foto.

—–

1 “Composed of teams of five, each team had a leader, a pilot, a combat expert, a gun/weapons expert and a medic.” – Resident Evil Archives, pg. 258 → Seção de palavras-chave → Palavra-chave 10: S.T.A.R.S.

2 “Former SWAT team member, Barry maintains and supplies weapons for all S.T.A.R.S. members.” – Manual de RE1 original para PC, pg. 15 → S.T.A.R.S. Bios → Alpha Team → Barry Burton

3 “After being kicked out of the Air Force, Chris became a drifter until he met Barry Burton.” – Manual de RE1 original para PC, pg. 16 → S.T.A.R.S. Bios → Alpha Team → Chris Redfield

4 “She is nervous around other members, both because of her age (18) and due to her lack of experience.” – Manual de RE1 original para PC, pg. 17 → S.T.A.R.S. Bios → Bravo Team → Rebecca Chambers

5 “The operatives are assigned to one of the following positions: Mission Leader (field commander of the team), Pointman (field scouting and reconnaissance), Backup Man (provides assistance to the Pointman), Omni Man (in charge of vehicle and weapon maintenance), and Rear Security (in charge of establishing contact between the headquarters and the helicopter, as well as treating injured teammates).” – Resident Evil Wiki → Artigo sobre os S.T.A.R.S. [http://residentevil.wikia.com/S.T.A.R.S.]

3 – Equipamento

Armas
A arma padrão da equipe é uma versão modificada da pistola italiana Beretta M92F, utilizada pelo exército estadunidense desde 1985, batizada como “Samurai Edge”.[1] O S.T.A.R.S. era um esquadrão de elite, então deveria ter armas realmente dignas de seu status.


Samurai Edge – Modelo Padrão

As exigências feitas para a construção dessas armas eram as seguintes:

1 – Peso: Para garantir sua praticidade, as armas deveriam ser relativamente leves – Sem munição, elas deveriam pesar menos do que 1.000g (1kg).
2 – Precisão: As armas deveriam ter uma margem de erro muito baixa, cerca de 5cm para cada 23m de distância do alvo.
3 – Munição: 9mm Parabellum, com capacidade para 13 balas, no mínimo.
4 – Funcionamento: Deveria ser adaptável tanto para destros quanto para canhotos, vistos os vários reveses que poderiam ser encontrados nos tiroteios.

Esse modelo padrão foi distribuído entre os membros da S.T.A.R.S., mas alguns membros da equipe alpha ganharam versões ainda mais personalizadas. Esses foram Chris, Jill, Wesker e Barry. Seguem algumas das particularidades de cada um.

Barry Burton: Sua arma foi modificada para fornecer maior poder de fogo. Para isso, a arma foi adaptada para receber o calibre .40. Para suavizar o recuo da arma, foram adicionados alguns furos no cano, além da adição de trilhos para acoplamento de lanterna e mira laser.

Jill Valentine: Foi modificada com um gatilho e um pente de prata, além de uma tonalidade de azul muito mais clara no emblema da equipe colocado no punho da arma.

Chris Redfield: Nessa arma, houveram mudanças sutis, mas significativas. Foi colocado um gatilho de prata, além de algumas mudanças internas para melhorar a pontaria e um produto foi adicionado para evitar a oxidação dos metais.

Albert Wesker: Personalizada para conseguir leveza e discrição. A estrutura dessa arma foi feita com duralumínio e aço com ajustes para acoplamento de lanterna e mira laser, além de vários outros adicionais, como um silenciador.

Uniformes
Cada membro usa camisas com o emblema do esquadrão na manga, além de coletes kevlar adaptados para as necessidades específicas de cada membro. O esquema de cores da roupa normalmente fica à escolha de cada membro, apesar de haver um modelo mais oficial, em tonalidade verde oliva, como o uniforme que Chris usa em CODE: Veronica.

Câmera
Kenneth J. Sullivan e Joseph Frost possuíam pequenas câmeras colocadas estrategicamente sobre seus ombros, o que era muito útil em missões de reconhecimento, onde um agente se infiltra em um ambiente enquanto manda dados sobre o local investigado para que o resto do time possa analisar em segurança, com a possibilidade de mandar ordens através do Rádio.

Rádio
O papel do rádio é mais do que óbvio: Mandar e receber informações à distância. Isso pode servir para a atualização dos objetivos de uma missão ou mesmo – como foi no caso de RE1 – enviar ou receber avisos de SOS.

Transporte
Cada uma das equipes do S.T.A.R.S. possuía um helicóptero UH-1 do exército para uso independente, sendo Edward Dewey o piloto dos Bravos e Brad Vickers o piloto dos Alphas. Em muitas ocasiões, ajuda externa era requisitada. Não foram raras as vezes em que Kevin Dooley, piloto de helicóptero da Delegacia de Polícia de Raccoon foi chamado para missões junto com os S.T.A.R.S.


Helicóptero UH-1 do exército estadunidense.

—–

1 “The primary weapon for S.T.A.R.S. members was the handgun known as Samurai Edge.” – Resident Evil Archives, pg. 258 → Seção de palavras-chave → Palavra-chave 10: S.T.A.R.S.

4 – O Incidente de Arklay

Em Julho de 1998, estranhos casos de assassinatos envolvendo campistas na floresta dos arredores de Raccoon chamaram a atenção da Polícia. O S.T.A.R.S. envolveu-se no caso.

Para investigar o local onde os corpos foram encontrados, a equipe Bravo foi enviada. Por causa de uma falha mecânica inesperada, eles foram obrigados a fazer um pouso forçado. Após isso, a equipe Alpha perdeu contato com seus companheiros na floresta de Arklay. [1]

Num esforço para resgatar os companheiros, a equipe Alpha foi até a floresta, onde encontrou o cadáver do piloto do R.P.D., Kevin Dooley. Subitamente, a equipe havia sido atacada por cães monstruosos e os sobreviventes desse ataque tiveram de se refugiar na mansão que ficava nas proximidades. [2]

Esta seria a noite mais longa de suas vidas…

Após uma série de acontecimentos, foi descoberto que a mente por trás das mortes dos membros do S.T.A.R.S. era ninguém menos que o próprio Capitão Albert Wesker e ainda que a responsável pela criação dos monstros que os sobreviventes enfrentaram era a Umbrella Corp. [3]

O S.T.A.R.S. foi praticamente dizimado nos incidentes de julho de 1998. Os poucos sobreviventes se tornaram alvos da Umbrella, por terem descoberto a “outra face” da empresa que até então assinava seus contracheques. Ela estava tão disposta a acabar com a vida deles que chegou ao ponto de mandar a sua arma biológicas mais poderosa para silenciar os S.T.A.R.S. sobreviventes durante a epidemia viral de Raccoon: Nemesis T-Type.

De todos os doze membros da S.T.A.R.S., apenas seis sobreviveram ao incidente da Mansão: Jill Valentine, Chris Redfield, Barry Burton, Rebecca Chambers, Brad Vickers e Albert Wesker.

O S.T.A.R.S. foi oficialmente desfeito após os acontecimentos na mansão de Spencer. Em seu lugar, foi criada uma força-tarefa composta por membros do R.P.D.. [4]

—–

1 “On July 23rd, S.T.A.R.S. Bravo team, led by Captain Marini, went to investigate the bizarre homicides that occurred in the Arklay Mountains. After contact with team’s chopper was lost, S.T.A.R.S. Alpha team, lead by Captain Wesker went in.” – Resident Evil 2 (Nintendo 64) → EX File Chris’s Report.

2 “we were forced to retreat to a nearby mansion.” – Resident Evil 2 (Nintendo 64) → EX File Chris’s Report.

3 “After that we discovered that Captain Wesker was actually working with Umbrella and that both Alpha and Bravo teams were being used as live test subjects for the Bio Organic Weapons.” – Resident Evil 2 (Nintendo 64) → EX File Chris’s Report.

4 “the group was disbanded shortly after they returned from the mansion. As a replacement, the R.P.D. Select Police Force was created.” – Resident Evil Archives, pg. 258 → Seção de palavras-chave → Palavra-chave 10: S.T.A.R.S.

5 – A Polêmica da foto da equipe

Como o leitor deve ter notado, existem dois membros do S.T.A.R.S. que não puderam ser identificados, mas a partir de alguns fatos, podemos esclarecer algumas coisas.

  1. A equipe foi criada em 1996.
  2. Rebecca só foi recrutada em 1998.
  3. Rebecca não aparece na foto de equipe, mas em uma foto à parte.
  4. O único S.T.A.R.S. que não é mencionado na foto é Edward Dewey.
  5. Rebecca foi a última a entrar no time.

Ora, se Rebecca só foi recrutada em 1998 e não aparece na foto da equipe, significa dizer que essa foto foi tirada num intervalo de tempo entre 1996 e 1998

O leitor pode estranhar o fato de Dewey não ser mencionado por mim em nenhum ponto da foto, mas partindo do pressuposto de que ele estava na equipe antes de Rebecca entrar, é relativamente seguro afirmar que ele é um dos dois anônimos

E quem seria o outro anônimo?

Consideremos um detalhe na foto:

Esse helicóptero pertence à RPD. Atente o leitor para o número de série do helicóptero:

N21RA. Esse é o número de série do helicóptero que aparece tanto na foto de equipe quanto na cutscene de Resident Evil 2, onde ele é abatido acidentalmente no telhado da delegacia de polícia.

A delegacia contava com um helicóptero, logo, só precisava de um piloto: Dooley. Presumo que o piloto que aparece em RE2 deva ter assumido o posto após a morte de Kevin.

Segundo o Project Umbrella [1], Dooley já havia trabalhado em outras operações junto com a S.T.A.R.S., então, na falta de um 13º membro do esquadrão, creio que o melhor palpite para o segundo anônimo seja Dooley.

Ora, mas quem é quem?

É isso que vamos tentar responder.

Alguém pode começar dizendo que Edward Dewey não se parece em nada com nenhum dos dois anônimos.

De fato, ele realmente não parece com nenhum dos anônimos, mas se compararmos os outros membros da equipe, poucos guardam forte semelhança com os modelos finais dos membros do S.T.A.R.S.

Um dos problemas com esses dois anônimos é que ambos tem cabeças raspadas e Edward ostenta uma bela cabeleira.

No caso de Dooley, não temos nenhuma foto dele vivo sem capacete… A última vez que o vemos vivo é essa:

Porém, na abertura do Resident Evil Remake, existe uma imagem do rosto de Kevin Dooley, desfigurado pelo ataque dos cães.

Girando a imagem pra facilitar a visualização, ela fica assim:

Olhando de perto, é possível ver cabelos loiros do lado do olho ferido de Dooley, logo, ele também tem belas madeixas por trás do capacete.

Mesmo assim, se considerarmos o intervalo de tempo em que essa foto em equipe possa ter sido tirada, o problema dos cabelos praticamente desaparece. Dois meses são mais do que suficientes para que os cabelos voltem a crescer, quanto mais dois anos.

Na busca para determinar quem era quem, pensei em utilizar a altura dos soldados na foto que estavam em pé como um critério de identificação.
Confrontando os dados de altura do Resident Evil Archives com a foto, em teoria podemos dizer quem é quem através de simples comparações de MAIOR QUE/MENOR QUE.

Ora, em teoria, esse método pode identificar sem falha o Edward Dewey, uma vez que ele é um dos homens mais altos do S.T.A.R.S. (1,88m), então, se o careca que estivesse em pé tivesse EXATAMENTE a mesma altura que Kenneth, que também tem 1,88m, ele seria Edward Dewey.

Se ele fosse menor que Kenneth, ele seria Kevin Dooley.
Um espertinho pode perguntar: E se ele fosse maior que o Kenneth? Ele ia ser quem? Oscar Schimidt?

A resposta é: Kevin Dooley. No Archives, existe um dado muito cômodo a respeito do rapaz: Os dados biométricos dele (peso, altura, tipo sanguíneo) estão indefinidos. Ele poderia ser maior ou menor ou ainda ter a mesma altura que Kenneth.

Talvez a CAPCOM não tivesse imaginado que alguém fosse achar dados como esse relevantes…

De qualquer forma, eu já estava lidando com a hipótese de o careca ser menor que Kenneth, porque, se eles fossem do mesmo tamanho, o impasse prosseguiria.

Oh, vida radioativa.

Mas enfim, alguns dados batem.

Por exemplo: No Resident Evil Archives, pode-se ver registrado que a altura de Kenneth é 1,88m e Barry, 1,86m.

Logo, o Archives diz que Kenneth é maior que Barry.

Na foto, vemos a confirmação desse dado:

… Por outro lado, o Archives afirma que a altura de Wesker é de 1,83m, e a de Richard Aiken é de 1,72m, logo, o livro afirma que Wesker é maior que Richard.

Mas quando vemos a foto, o que temos é isso:

Wesker aparece menor do que Richard. Com esse mísero erro, não podemos usar a altura dos caras em pé como critério pra definir quem é Edward ou quem é o Kevin.

Passei muito tempo sem conseguir sair desse impasse…

Mas aí, me veio uma outra teoria.

Primeiro, vamos enumerar alguns fatos…

  1. O objetivo de Wesker ao levar os S.T.A.R.S. à floresta de Arklay era dar cabo de todos, para conseguir dados de batalha contra as criações da Umbrella.
  2. Kevin Dooley assumiu o posto de piloto de helicóptero enquanto Dewey investigaria com os outros membros do esquadrão, com seu fiel rifle.

Senão vejamos: Se Wesker tinha desde o princípio a intenção de fazer os seus subordinados lutarem contra as BOW, é lógico crer que ele não deixaria de aproveitar a perícia com rifle de Dewey pra deixá-lo cuidando do helicóptero.

Outro que cuidasse disso.

Uma hipótese que sustenta essa teoria é a de Kevin Dooley não ter perícias com armas de fogo pesadas, como os outros membros do S.T.A.R.S.. Isso é perfeitamente possível pois:

  1. Kevin Dooley não era membro do S.T.A.R.S., ele era apenas um piloto de helicóptero da RPD.
  2. Mesmo que Dooley fosse membro do S.T.A.R.S., o uso de armas pesadas não é obrigatório. Brad Vickers, por exemplo, está dentro do time mesmo sem perícias com armas pesadas.

Baseado nisso, posso pular pra última conclusão.

Quantas pessoas fazem pose na foto sem segurarem armas?

Brad Vickers e o careca da esquerda.

Esse fato faz com que, até o presente momento, dizer que Dooley é o careca em pé, à esquerda. Pode ser que eu esteja errado, mas até agora, esse é o palpite mais seguro que posso dar…

Então, a foto ficaria assim:

—–

1 “During his time with the force, Kevin had been instrumental in helping the members of S.T.A.R.S. rescue numerous civilians from dangerous situations in the dense forests and rocky peaks of the Arklay Mountains, and despite his past in the entertainment industry, took his responsibility as an R.P.D pilot very seriously.” – Project Umbrella →
Profiles → Peace Keepers → R.P.D. Officers → Kevin Dooley

– Extra


Diferença entre duas versões da mesma foto: A primeira é da versão final de RE2 enquanto a outra seria de uma versão beta. (precisa de confirmação)

– Agradecimentos

Primeiro, quero agradecer todo mundo que lutou bravamente contra esse monte de caracteres contando um pedaço de ficção. Se você leu isso até o fim, muito obrigado. O simples ato de ceder alguns minutos de sua atenção pra ler esse artigo já é uma ótima recompensa pra mim.

Um artigo como esse, feito por fã, não espera outra recompensa do que o agrado do leitor.

Os demais agradecimentos vão para:

– Erick Soares e Thiago Lopez, da RE5BR, por acreditar que esse artigo poderia dar certo;
– Davi “Redfield” Felipe, por ter revisado as cagadas que apareceram ocasionalmente no texto e ainda por me arrumar um excelente material de pesquisa;
– Luis Antonio “Marajá” Lessa, por ter me mostrado como ver o rosto de Dooley;
– Felipe “Slash”, por não ter feito absolutamente nada;
– A galera do Project Umbrella e do Resident Evil Wiki, por disporem de tantas informações úteis pra que esse artigo acontecesse.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s