Traduções, Artigos, Entrevistas

Análise: Silent Hill Shattered Memories

Antes de começarmos nossa análise desse novo capitulo da série de jogos Silent Hill, primeiramente temos que deixar algo bem claro: Silent Hill Shattered Memories não é um remake da versão original lançada para Playstation em 1999.

Esse jogo apenas trás alguns dos antigos personagens conhecidos como Cybil, Dalia, Lisa e Dr. Kaufman, mas agora com certas mudanças em suas características visuais e principalmente em suas personalidades.

Se formos analisar superficialmente, realmente o jogo original tem uma atmosfera mais sombria e apavorante, mas essa releitura tem seus méritos. Os sustos são mais constantes e a adrenalina nos momentos dos pesadelos de Harry são de tirar o fôlego, nos dando uma sensação de impotência em relação aos monstros e situações do enredo.

Mesmo sendo difícil, vamos tentar analisar Silent Hill Shattered Memories como um novo jogo da saga de sucesso da Konami, com personagens novos e antigos, com situações e surpresas bem diferentes do que vimos no primeiro jogo da franquia.

Em Shattered Memories temos uma premissa já familiar, somos apresentados a um Harry preocupado e aflito com o desaparecimento de sua filha após um acidente de carro,  e ao acordar e perceber o sumiço de sua filha Cheryl vemos o desespero de um pai a procura de sua filha e principalmente em busca de respostas para os acontecimentos que irá presenciar na misteriosa cidade de Silent Hill. Mas ao iniciar o jogo percebemos que as similaridades com o primeiro game acabam por aí.

Na introdução do jogo vemos a relação afetiva entre Cheryl e Harry através de um video-tape gravado em um dos passeios a um parque de diversões. As imagens desse momento são repetidas dezenas de vezes como se estivéssemos nos lembrando de tal fato. Em seguida somos direcionados ao consultório de um terapeuta onde a história tem início.

A sessão de terapia começa por relembrar o acidente sofrido por Harry e sua filha Cheryl. Após perceber que sua filha desapareceu, e então tem inicio uma busca incessante para encontrá-la.

No controle de Harry podemos então adentrar a Silent Hill, em posse do único objeto que irá nos ajudar durante a aventura: uma lanterna, teremos que guiá-lo pela isolada e escura cidade. Aos primeiros comandos teremos que aprender a interagir com os objetos e cenários ao nosso redor, como portas, janelas, fechaduras, armários e demais construções do ambiente, onde podemos encontrar itens e dicas que serão de grande ajuda para entender os detalhes da história.

Durante a aventura, diversas vezes receberemos mensagens de texto pelo celular ou mesmo chamadas de voz que explicam um pouco a trama e ajudam na resolução dos enigmas. Em determinados locais o celular começa a captar sinais e freqüências sem sintonia, sendo necessário nos guiar pelo volume do som emitido para assim receber a mensagem, o que lembra o esquema dos rádios nos jogos passados.

Harry também poderá utilizar seu celular para realizar algumas ligações, por isso qualquer número de telefone localizado durante o jogo pode ser feita à ligação pelo aparelho celular, como, por exemplo, telefone de lojas, hotéis, polícia entre outros.

Dito isso já deu para perceber a importância do celular no decorrer do jogo, seja para efetuar e receber ligações, e também para tirar fotos e acessar o mapa do local, e por último será com o celular que você salvará seu progresso durante a partida.

No momento em que Harry estiver na cidade normal de Silent Hill, nenhum tipo de monstro surgirá, então é momento de andar e vasculhar a cidade, mas ao jogar pela primeira vez certamente mesmo estando sozinho, o medo de algo acontecer a qualquer momento nos tira a tranqüilidade.

De uma hora para outra o mundo alternativo poderá acontecer e tudo ficará congelado, nesse momento seu objetivo é somente correr dos monstros e encontrar a saída. De modo algum tente matar os monstros, pois você não possuirá arma nenhuma, apenas o celular. O ponto positivo é que o celular emitira ruidos cada vez mais altos de acordo com a aproximação dos inimigos.

Durante a fuga é possível, saltar obstáculos e esconder-se em armários, debaixo de mesas e camas, além de poder também empurrar objetos para atrasá-los. Em alguns locais é possível usar uma espécie de tocha que afastará os inimigos enquanto a chama estiver acesa.

Como não existe armas e  itens de defesa além do fogo, certamente em algum momento o jogador será pego, nesse instante haverá uma seqüência de Quick Time Events, onde é preciso apertar determinado botão para se livrar do monstro.

O objetivo central de Harry é encontrar Cheryl, pois ele acredita que ela está segura em casa, e também recuperar parte de sua memória, pois devido ao acidente, ele não consegue se lembrar de algumas pessoas ou fatos.

No decorrer do jogo somos direcionados algumas vezes ao consultório do terapeuta, onde temos uma visão em primeira pessoa, e nesse momento ouvimos suas opiniões e suposições com base em respostas e testes que temos que ir respondendo em casa sessão.

Durante a terapia algumas perguntas serão feitas e dependendo das respostas e atitudes do jogador, elas trarão mudanças na trama e na relação de Harry com outros personagens, concluindo em possíveis finais alternativos.

Em relação aos gráficos do jogo, temos um ótimo visual, tanto a versão para Wii quanto a versão para PSP, com personagens bastante detalhados, principalmente durante as sessões de terapia, e apesar da mudança drástica na versão alternativa da cidade, deixando de lado a ferrugem e ferros contorcidos, para um clima desértico e congelado, ainda assim a cidade teve todo um capricho em suas construções e arquitetura.

As músicas e sons do jogo ainda conta com toda a qualidade presente em toda a série, com composições de Akira Yamaoka, efeitos sonoros bem convincentes, desde o barulho do celular até os gritos de agonia dos monstros contribuem para causar medo ao jogador.

Silent Hill Shattered Memories está mais do que recomendado para os jogadores veteranos e iniciantes. Susto, pavor e tensão é o que não irá faltar, especialmente no momento dos pesadelos de Harry. E pelo fato de não haver armamentos, o jogo dá uma sensação de fragilidade ao jogador.

Para não estragar a surpresa, não irei  aprofundar o final do jogo, mas garanto que foi de certa forma inesperado e surpreendente. Mesmo após terminar o game, algumas surpresas ainda aguardam o jogador, pois ao iniciar uma nova partida, alguns eventos poderão ser alterados, e também os personagens possuirão figurinos e atitudes diferentes, por exemplo, Cybil e Dalia ficarão muito mais sexy do que na primeira vez que jogamos o game.

Artigo escrito por Karina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s